5 atitudes de um síndico de sucesso

O síndico deve ser um líder e conduzir a gestão do condomínio. Seja profissional ou morador, ele é responsável por promover a resolução das complicações que surgem no dia-a-dia da vida condominial, tomando decisões importantes de maneira rápida e certeira.

Por isso, hoje listamos 5 atitudes que fazem um síndico de sucesso, deixando-o preparado para qualquer contratempo.

1 – Criar um planejamento condominial

Planejar cada atividade a ser executada, juntamente com suas datas, faz com que o síndico evite a descontinuidade de projetos, obras e manutenções por conta da falta de renda, decorrentes da falta de planejamento.

Além disso, um planejamento bem implementado faz com que o síndico também se prepare para possíveis surpresas, dispondo de um fundo de reserva para emergências, garantindo que o condomínio não fique no vermelho.

2 – Observar a legislação e suas mudanças

Por cuidar de um bem comum, assim como preservar a vida dos condôminos, o síndico deve estar ciente da legalidade de suas ações, tendo em vista que é o responsável civil e criminalmente pelo condomínio.

Dessa forma, é preciso que o síndico conheça e acompanhe a legislação, como o Código Civil, que dispõe de todas as regras de âmbito nacional da vida condominial. Bem como ter conhecimento das constituições municipais e estaduais e o regimento interno do condomínio, para que assim, não ocorra nenhuma complicação futura.

3 – Estar atento aos problemas do condomínio e de seus usuários

Para solucionar problemas, primeiramente, é preciso conhecê-los. Assim como ao tomar posse do cargo, é primordial que o síndico conheça o condomínio e realize visitas frequentes a todos os seus espaços, para que busque melhorias a serem realizados relacionadas a estrutura e segurança condominial, assim como, atentar-se às demandas condominiais de seus usuários.

Mas não basta apenas ouvir e deixar de lado, é preciso prestar atenção e realmente entender o que a outra pessoa necessita, seja condômino ou funcionário. Ao abrir um espaço de comunicação, o síndico acaba descobrindo demandas e problemáticas que ainda não eram percebidas, ou que muitas vezes, estavam escondidas.

4 – Investir em segurança

Em muitos condomínios, por falta de prioridade ou até de conhecimento, os investimentos relacionados à segurança são realizados de maneira inadequada ou até mesmo são inexistentes. Mas com o alto índice de violência no país, é imprescindível que haja investimento neste setor, já que os criminosos sempre estão à espreita de uma oportunidade para invasão.

Com o avanço da tecnologia, hoje o mercado disponibiliza inúmeros artifícios de segurança que vão desde cercas elétricas, a portarias remotas. Estes equipamentos dificultam a entrada de meliantes e notifica automaticamente o responsável pela segurança caso ocorra alguma movimentação irregular. Além de registrar informações importantes que podem ajudar em uma possível perscrutação.

5 – Fazer feedback de suas ações

Além de estabelecer um canal de comunicação para que o síndico ouça condôminos e funcionários, é necessário realizar um bom feedbaak. Seja individualmente tirando dúvidas ocasionais, ou em assembleia, esse processo de devolutiva faz com que os usuários do condomínio percebam o envolvimento e comprometimento do síndico, e assim, acaba-se criando um laço de confiança e credibilidade.

Outra dica é que disponibilizar todas as informações de gastos e custos relacionados a manutenção do condomínio, como luz, água e outros pequenos reparos, e apresentar o índice de inadimplência condominial. Dessa forma, além de estabelecer uma relação mais transparente, o síndico pode fazer com que os condôminos entendam para onde a taxa condominial está destinada e sua devida importância.

Gostou desse post? Então fique por dentro do melhor conteúdo sobre a vida e gestão condominial no Blog da PROTEC.

Tudo que um síndico precisa saber para tornar seu condomínio mais seguro

Atualmente os condomínios são considerados uma solução mais segura de moradia em grandes cidades, por proporcionar maior distanciamento dos perigos. Entretanto, ninguém está imune, os criminosos aprenderam a se beneficiar de falhas na segurança condominial para invadir e realizar seus crimes.

Neste post, separamos tudo o que um síndico deve observar para fazer com que seu condomínio seja mais seguro.

Acesso ao condomínio

Tanto para pedestres, quanto veículos, o acesso ao condomínio deve ser realizado através de um sistema de controle rigoroso para que seja identificado quem está entrando. Em muitos condomínios, os porteiros adquirem outras funções de zeladoria, além de entregar cartas e encomendas, saindo então do seu posto e colocando em risco a vida condominial.

Diante disso, a portaria remota vem conquistando cada vez mais condomínios. Pois além da redução de custos, a portaria remota proporciona maior segurança, impossibilitando a rendição da portaria, e viabilizando e reunindo também uma série de informações importantes para a vida condominial como fluxo de carros, condôminos e visitantes, juntamente com o horário de entrada e saída de cada um.

Esse monitoramento é feito por profissionais qualificados, que ficam em uma central de atendimento para processo de liberação e autorização da entrada, que o é feito através de câmeras, interfones e softwares.

Segurança Eletrônica

Atrelando a portaria remota, o síndico ainda pode contar com uma série de tecnologias de segurança. Os nossos velhos e conhecidos alarmes foram evoluindo e o sistema composto por sensores interligados a uma sirene, hoje encaminham uma notificação automaticamente para a central, permitindo ação mais rápida e eficaz, bem como as cercas elétricas, que inibem o acesso de meliantes através de choques elétricos e que ganharam versões mais modernas com a presença de infravermelho.

As câmeras de monitoramento por sua vez, permitem visualizar imagens do condomínio em tempo real por meio de computadores ou smartphones e incluem o reconhecimento facial de condôminos, identificação de carros além do acompanhamento de vigilância e monitoramento eletrônico 24 horas, que ao detectar alterações nos padrões de comportamento ativam a central de segurança do condomínio.

Outra novidade do mercado é atribuição de um botão de pânico junto ao controle de portões, onde ao ser acionado é programado para emitir um alarme imediato a central informando a possível rendição de um condômino.

Rotatividade de Funcionários

A alta rotatividade de funcionários dentro do condomínio também é um fator a ser considerado. Isso porque, por permanecerem pouco tempo há uma falta de treinamento correto aos empregados, o que acaba gerando dificuldades operacionais na segurança em circunstâncias emergenciais.

Outro fator a considerar, é que devido ao pouco tempo de trabalho, os funcionários não conhecem devidamente os condôminos, e vice-versa, gerando então um sentimento de vulnerabilidade ou decisões precipitadas.

Normas e procedimentos de segurança interna do condomínio

Mesmo com o melhor sistema de segurança existente no mercado, é importante não baixar a guarda! Juntamente com o treinamento dos funcionários também é de suma importância a conscientização dos próprios condôminos.

O síndico deve então estabelecer regras e procedimentos que visam evitar falhas que aumentam os riscos à segurança, que são medidas simples, mas que fazem grande diferença, como por exemplo, esperar o portão se fechar por completo antes de sair com o carro.

Uma dica útil é combinar alguns sinais de socorro entre moradores e funcionários, a fim de pode promover possível auxílio diante de situações emergenciais futuras, que pode ser um piscar a luz, uma palavra ou uma pergunta chave, ou ainda um gesto.

Gostou desse post? Então fique por dentro do melhor conteúdo sobre a vida e gestão condominial no Blog da PROTEC.

5 principais dúvidas de um novo síndico

Ser síndico não é tarefa fácil. Afinal, ser responsável pelo bom funcionamento do condomínio requer muita dedicação e trabalho duro. Ser síndico pela primeira vez então, exige esforço em dobro! A primeira experiência na gestão condominial é um desafio, pois ao se inteirar nos processos do condomínio e conhecer a suas novas funções, o síndico principiante levanta inúmeros questionamentos.
Por isso, hoje esclareceremos 5 dúvidas que todo o síndico tem nessa primeira experiência.

1 – Quanto ganha um síndico?

No Código Civil não há especificações sobre o síndico ser remunerado ou não. Dessa forma, tais detalhamento devem constar na Convenção do próprio condomínio em relação a gratificação do síndico.

Em circunstâncias em que o síndico é morador, onde o mesmo se disponibiliza para exercer a função de maneira voluntária, o condomínio pode conceder algum benefício a ele, bem como, a isenção da taxa condominial.

Caso a Convenção do condomínio, não tenha nenhuma especificação sobre o assunto, é necessário que haja uma assembleia para assim definir se haverá remuneração, benefícios ou isenção para o síndico.

2 – O síndico deve estar à disposição dos condôminos 24h por dia?

Embora não exista nenhuma norma na legislação que obrigue o síndico a ficar disponível ininterruptamente, em muitos condomínios, o síndico precisa ter jogo de cintura para lidar com dezenas de chamadas mesmo em seu período de descanso.

Para resolver tal problema, o síndico pode estabelecer dias da semana ou um intervalo de horas diárias, para cuidar das incumbências pertinentes ao condomínio. Fora desse período, o ideal é orientar os funcionários do condomínio e as prestadoras de serviço a serem intermediadores de possíveis reclamações ou problemas, e aconselhar a chamar o síndico apenas em casos urgentes. Nada melhor do que ter parceiros confiáveis nestas horas para resolver problemas urgente não é mesmo? A Protec é um bom exemplo de prestadora de serviço que atende a qualquer momento e pode solucionar os problemas sem a necessidade de acionar o sindico.

3 – Qual é o quórum necessário para a votação e aprovação de melhorias condominiais?

O Código Civil determina que em assuntos para aprovação das obras voluptuárias, os votos em assembleia devem ser proporcionais às frações ideais, sendo a maioria absoluta (ou qualificada) consiste em 2/3 de todos os votos do condomínio, bem como para alterações na Convenção de Condomínio e no Regimento Interno.

Para pequenas intervenções e de utilidade geral, o quórum pode ser de uma maioria simples, que corresponde a 50% mais um dos presentes em assembleia. Já em situação de caráter emergencial, consistindo necessárias, pode-se dispensa-se votação prévia.

4 – Como cobrar a inadimplência condominial?

A inadimplência é um dos grandes problemas que os síndicos enfrentam diariamente, e ao assumir o cargo, o síndico de primeira viagem muitas vezes não sabe como proceder diante da cobrança, seja por não saber o momento certo, ou quais providências tomar.

O condomínio torna-se inadimplente, a partir do dia posterior ao vencimento. E assim, o síndico já pode proceder realizando uma cobrança amigável, através de uma notificação por escrito. Caso a carta não surtir efeito, em alguns estados brasileiros, é permitido fazer o protesto da dívida condominial, pressionando então o pagamento.

Outra medida pode ser a aplicação de multa de 2% e juros de até 1% ao mês, correspondentes às taxas em atraso. E caso a situação sair do controle e considerando a ser a última medida a ser tomada, é possível entrar com uma ação judicial contra o inadimplente.

5 – Qual é o papel da administradora?

No dia a dia condominial, o síndico acaba perdendo muito tempo emitindo boletos, cuidando da parte trabalhista, efetuando pagamentos de contas e salários, ou ainda, organizando e armazenando documentos condominiais. Por isso estas entre outras tantas atribuições, podem ser repassadas à uma administradora.

Dessa forma, a principal função da administradora é auxiliar o síndico no exercício de suas atividades, contribuindo assim na gestão, além de orientar sobre os aspectos legais e dando-lhe suporte em processos financeiros, jurídicos e de recursos humanos.

*É válido ressaltar, que apesar de ser uma empresa especializada em gestão de condomínios, tudo o que a mesma faz, é de responsabilidade do síndico, pois precisa de sua aprovação para as tomadas de decisão.

Gostou desse post? Então fique por dentro do melhor conteúdo sobre a vida e gestão condominial no Blog da PROTEC.

8 coisas que você precisa saber para se tornar um síndico

Assumir a gestão de um condomínio nunca é tarefa fácil, principalmente quando não se tem experiência nessa área. Quando se assume o cargo, muitos síndicos de primeira viagem, não imaginam que adquirem uma série de responsabilidades e riscos, caso não exerçam a função de maneira adequada.
Por isso, separamos 8 coisas que você precisa saber antes de se tornar síndico.

1 – Os deveres do síndico

Segundo o Código Civil, além de convocar as assembleias, é dever do síndico representar o condomínio e os condôminos, dentro e fora dos muros e promover o imediato conhecimento à assembleia sobre todos os processos judiciais ou administrativos referentes aos interesses comuns.
Cabe ao síndico elaborar o orçamento das receitas e das despesas relativas a cada ano, prestando contas à assembleia e cobrando dos condôminos as suas contribuições, além de impor as multas devidas caso haja a falta de pagamento.
E assim como a qualquer condômino, o síndico também deve cumprir a convenção, o regimento interno e as determinações da assembleia, zelando por todas as áreas comuns do condomínio.

2 – Responsabilidades civil e criminal

É importante entender que ao se tornar síndico, o mesmo, assume civilmente o compromisso de trabalhar em prol do condomínio e dos interesses em comum dos condôminos, e deve ser responsabilizado por danos ou prejuízos causados aos condôminos ou a terceiros por má gestão.
O síndico também possui responsabilidade criminal, quando o mesmo não cumpre suas atribuições e age com má fé, omitindo informações ou praticando atos de caráter criminoso.

3 – A legislação

Também é fundamental que um síndico saiba tudo o que lícito, ou ilícito, dentro do condomínio. Juntamente com as responsabilidades do síndico, o Código Civil descreve os direitos e os deveres dos condôminos, as definições e normas das áreas do condomínio e entre outros pontos que devem ser considerados para as tomadas de decisão ao gerir um condomínio.
Além do Código Civil, o síndico também deve conhecer as leis internas do condomínio, que abrange a convenção, o regimento interno e as determinações da assembleia, para que assim, o síndico saiba como proceder e solucionar problemas com mais eficácia.

4 – Conhecer o condomínio

Outro fator indispensável é conhecer o condomínio e seus problemas, como o índice de inadimplência e problemas de carácter estrutural. Para isso, converse com os funcionários e condôminos e entenda quais são as demandas que o condomínio tem. Dessa forma, o síndico pode se preparar criando um planejamento de melhorias que o condomínio precisa, priorizando essas demandas conforme seu grau de urgência.

5 – As administradoras

Por conta das inúmeras complicações corriqueiras de um condomínio, como as exigências tributárias, trabalhistas, contábeis e burocráticas além de ser apaziguador de conflitos internos, um síndico de primeira viagem pode não se sentir apto para gerir sozinho o condomínio, e assim, pode contar com o auxílio de uma empresa administradora de condomínios.
Embora muitas vezes seja uma grande aliada, é importante não deixar as cordas frouxas e analisar a empresa. Para quaisquer ações e tomadas de decisão, a administradora dependente da aprovação do síndico, ou de contrato anteriormente estabelecido, e assim, tudo o que a administradora faz é de responsabilidade civil e criminal do síndico.

6 – Saber se comunicar

Saber como falar, e ouvir, as pessoas pode interferir diretamente em uma boa gestão condominial. O primeiro passo é criar um canal de comunicação com os condôminos, para que assim, o síndico possa se disponibilizar a ouvir e os problemas condominiais, mostrando-se sempre compreensivo e deixando clar que entende os lados da situação.
Manter um diálogo sempre cordial, sem levantar a voz e sem tomar partido em discussões também pode evitar diversos tipos de conflitos. Caso surja algum tipo de desentendimento, o síndico deve procurar sempre ter argumentos coerentes e racionais, defendendo sempre o que está previsto nas leis internas do condomínio.
Outro ponto importante, é comunicar, de maneira clara e objetiva, aos condôminos e funcionários sobre o que está acontece no condomínio, como as datas de manutenção e inspeções, campanhas de conscientização, bem como o dia da próxima assembleia condominial.

7 – Ser transparente!

Ganhar a confiança dos condôminos não é tarefa fácil. Em decorrência aos inúmeros golpes existentes, entregar dinheiro na mão de outra pessoa para realizar melhorias pode gerar desconfiança e dificultar o convívio.
Por isso, é muito importante que o síndico aja com transparência. Para isso, realizar reuniões frequentes com os moradores para prestação de contas, enviar relatórios mensais por e-mail e trabalhar junto com o Conselho Fiscal, pode auxiliar o síndico a criar uma relação de confiança com todos os usuários do condomínio.

8 – Iniciativa é tudo!

Ser síndico requer mais do que disposição, é preciso iniciativa e criatividade! Em muitos casos, é necessário pensar fora da caixa, e principalmente sair do comodismo, trazendo soluções e melhorias para promover o bem-estar dentro do condomínio.

O novo síndico, não deve se apegar muito nas ações das gestões anteriores, mudanças são necessárias e é por isso que outro síndico está sendo eleito. Caso tenha alguma ideia, o síndico deve analisar tudo o que é necessário para viabilizar a ideia, de que forma a mesma irá beneficiar o condomínio e apresentar a proposta para a assembleia. Afinal, por que se contentar apenas com o bom, se a vida em um condomínio pode ser ótima?

Gostou desse post? Então fique por dentro do melhor conteúdo sobre a vida e gestão condominial no Blog da PROTEC.

10 passos para você utilizar o Aplicativo e QR Code!

Caso você possui o aplicativo Kiper fornecido pela Protec ou deseja entender um pouco mais sobre esta funcionalidade e suas comodidades, abaixo separamos 10 itens essenciais para usufruir de todos os benefícios do aplicativo e QR Code.

1º Baixe o aplicativo
Disponível para Google Store e App Store, basta digitar ‘kiper’ no campo de busca.
Ao encontrar o aplicativo com esta logo, clique em baixar.

2º Habilite sua conta no App Kiper
Escaneie através do aplicativo o QR Code que você recebeu por e-mail da Protec.
Clique em ‘escanear’ e ‘permitir’, para que seu aparelho faça a leitura.
Este código muda constantemente, então não se preocupe com a segurança dele!

3º Adicione novos usuários, configure e gerencie permissões
Para adicionar os demais moradores da sua residência, clique no ícone com os 3 tracinhos e em seguida no símbolo ‘+’.
Se você é o primeiro usuário da sua residência cadastrado, será o Usuário Master. Você poderá configurar permissões dos outros moradores da mesma residência.
Insira as informações de usuário e clique em Salvar usuário. Para criar novos usuários com outros perfis é só seguir o mesmo processo. Ao ser criado um novo usuário, será enviada uma chave de acesso para o e-mail registrado, para que possa ser lida pelo novo morador. Além disso, o próprio aplicativo também exibe a chave de acesso, permitindo que o morador faça a leitura do QR Code caso esteja presente no momento da criação.
Você pode criar usuários com os seguintes perfis: Familiares; Hóspedes; Funcionários; Prestadores de serviço, cada um com suas respectivas permissões (para personalizar, basta selecionar o perfil e configurar as permissões).
Ali você também pode personalizar o Tempo de Acessibilidade para cada usuário, de acordo com a sua necessidade individual (5, 10 ou 15 segundos).
Cada usuário que for cadastrado receberá códigos QR Code intransferíveis e de acordo com suas permissões.

4º Acompanhe os acessos dos moradores da sua residência
Acompanhe os acessos!
– Verde: entradas
– Vermelho: saídas
– Amarelo: entradas e saídas por portões veiculares
– Azul: entradas e saídas de convidados
Você pode também receber as notificações de acesso de algum usuário (basta selecionar o usuário e ativar as notificações) ou;
Monitorar através das câmeras integradas ao aplicativo (clique em Câmeras na página principal do aplicativo)

5º Como convidar um visitante?
Para enviar um convite, toque em Convites e depois, Novo Convite Pessoal.
Indique o dia e horários de permissão de acesso da sua visita ou se a pessoa poderá ter Acesso livre durante o período.
Clique em Adicionar convidado e selecione a pessoa a partir da sua lista de contatos no celular e clique em Enviar.
A pessoa que o usuário convidou receberá um SMS com o código QR Code válido para acesso ao condomínio para o dia determinado. Basta seu convidado usar o próprio celular com seu QR Code individual!

6º Como fazer uma lista de convidados?
Para criar uma lista de convidados, toque em Convites e em seguida, Nova Lista de Convidados.
Insira o nome do evento, o local, dia e horários e selecione ‘acesso livre durante o período’, para possibilitar mais de uma entrada e saída para essas pessoas durante o período.
Em seguida, selecione seus convidados a partir da sua lista de telefones salvos na agenda do celular, clicando em ‘Adicionar Convidados’.
Após salvo, as pessoas que você convidou receberão um SMS com o código QR Code individual, válido para o período determinado. Basta seu convidado usar o próprio celular com seu QR Code individual!

7º Como reportar à empresa prestadora de serviço algum problema?
O contato com a empresa é feito pelo interfone, por meio do síndico ou outro canal de comunicação fornecido pela empresa.

8º O que fazer em caso de roubo do seu aparelho ou de outros com chaves de acesso ao condomínio?
Deve-se informar ao usuário Master para bloquear a tag e o QR Code. O usuário clica no ícone com os 3 tracinhos, no cadastro do perfil do morador, para marcar ‘Bloquear QR Code’.
Para o caso dos convites, como Convite Pessoal ou Lista de Convidados, clique em Convites, selecione o convite enviado e clique em Remover Convite, e então clique em Salvar.

9º Como solicitar nova tag ou controle veicular?
Agora você pode solicitar através do site da Protec!
Basta acessar este link e fazer sua solicitação.

10º É possível cancelar o acesso de um usuário?
O usuário Master ou aqueles que têm as permissões Remover Convites ou Remover Usuários poderão bloquear QR Codes e excluir convites pelo aplicativo.
Clique no ícone com os 3 tracinhos, no cadastro dos perfis, marque Bloquear QR Code e Salvar usuário. No caso dos convites, como Convite Pessoal ou Lista de Convidados, clique em Convites, selecione o convite enviado e clique em Remover Convite, Salvar.

Utilizar as facilidades do aplicativo e QR Code da Kiper é muito simples, aproveite esta funcionalidade para trazer comodidade ao seu dia a dia.
Esperamos ter te ajudado!
Equipe Protec.

SACADA INTEGRADA – Dicas profissionais para o seu apartamento!

 

Você tem uma sala pequena, que não permite receber os amigos ou reunir a família com conforto?  Integrar a sacada ou varanda à sala é uma das soluções mais eficazes para ampliar a área de convívio das casas e principalmente dos apartamentos, que estão cada vez menores. Se você mora em apartamento e considera esta ideia com o intuito de ter um espaço de convivência maior, é essencial adotar alguns cuidados.

6 DICAS QUE NÃO PODEM FALTAR NO SEU PLANEJAMENTO

         NORMAS E PADRÕES | O primeiro passo, para quem mora em prédio ou comprou um apartamento na planta, é verificar as normas da construtora e do condomínio. Normalmente a integração entre os ambientes pode ser feita, mas existem alguns padrões a seguir. O sistema de fechamento de vidro da sacada e a cor das cortinas e persianas são exemplos de acabamentos que devem ser respeitados.

CONTINUIDADE DO PISO | Para dar unidade e continuidade, é importante que o piso dos ambientes esteja no mesmo nível. Para isso, recomendamos verificar com a construtora responsável pela execução do prédio, se a laje da sacada suporta o peso do preenchimento. Quanto ao revestimento, indicamos o uso do mesmo piso em toda a área integrada, para dar maior amplitude ao espaço.

                ILUMINAÇÃO NATURAL | Uma das grandes vantagens de integrar a sacada, é que conseguimos trazer mais luz natural para dentro do apartamento. Essa unificação também nos permite explorar o visual externo de diversos ângulos, como é o caso deste apartamento, projetado pela Vobol Arquitetura e Interiores, com Cozinha, Estar e Jantar totalmente integrados e voltados para uma paisagem que transmite tranquilidade, em meio ao caos urbano.

Toda essa integração é fantástica! O que não podemos esquecer, é que o piso e os móveis ficam mais vulneráveis à ação do tempo quando decidimos unificar os espaços. Para evitar que eles sofram com as intempéries, é importante utilizar um fechamento de sacada eficiente, bem como cortinas, persianas e revestimentos de piso adequados para cada situação.

COMBINAÇÃO DE CORES E FORMAS | Cada detalhe da sua casa é superimportante, e tem seu lugar.  As cores e formas são fundamentais na apresentação e representatividade de um espaço. Temos que tomar cuidado com cada detalhe, para não deixar os ambientes ainda menores. Os móveis e a decoração da área integrada dever ter a mesma “linguagem”, para criar uma sensação de unidade. Os tons claros se destacam pelo efeito de amplitude.

         AMBIENTES VERSÁTEIS | Ambientes que adquirem várias funções, otimizam espaço. Quando falamos da sacada como extensão da sala, devemos aproveitar ao máximo cada metro quadrado. Você pode ter um office na sala, ou uma lavanderia camuflada nos móveis da cozinha, por exemplo. Isso faz com que cada espaço, se torne rentável e especial.

Neste apartamento, a churrasqueira integrada ao jantar, traz várias funcionalidades. A bancada central serve de apoio à cozinha, e dá suporte para churrasqueira. A mesa de jantar também é indispensável, tanto nas refeições do dia a dia como para receber a família e os amigos. Tudo otimizado!


            CONTRATAR UM PROFISSIONAL | O Arquiteto é o profissional habilitado para transformar as suas necessidades e desejos em soluções espaciais, ao construir ou reformar o seu imóvel. A sua formação une técnica, criatividade, funcionalidade e estética, deixando o seu imóvel mais agradável e adequado às suas necessidades e ao seu orçamento.

Os projetos que você pode ver nesse artigo foram desenvolvidos pela Arqª. Gisele Boll, da VOBOL Arquitetura e Interiores. Para ver mais projetos como estes, acesse  www.vobol.com.br

 

Projetos: Vobol Arquitetura e Interiores

Fotos: Alexandre Zelinski

Texto: Arqª. Gisele Boll

Arqª. Gisele Boll

CAU A55159-7

VOBOL Arquitetura e Interiores

www.vobol.com.br

 

Oktoberfest e o seu condomínio – Utilizando tecnologia no dia a dia!

 

Notícias correram pelos veículos de comunicação apresentando as novidades tecnológicas utilizadas na Oktoberfest 2018. Para os blumenauenses que sempre estavam acostumados com números de agentes de segurança no local, uma das grandes surpresas é a de que os grandes destaques ficaram por conta dos novos sistemas adotados pela festa.

Reconhecimentos faciais, cartões para facilitar o consumo, drones e diversas câmeras estão disponíveis para o setor de segurança do evento. Com eles, a eficiência no combate às ocorrências da festa será mais ágil, preciso e contará com registros para garantir o reconhecimento dos envolvidos.

Um alívio para os frequentadores da festa, que podem desfrutar de um evento desenhado para milhares de usuários com bastante tranquilidade. Como os investimentos em infraestrutura não dependem do aumento de funcionários, o custo benefício da utilização destas tecnologias pode ser o grande atrativo para os organizadores do evento.

Sabendo disso reservamos este espaço para convidar todos os nossos leitores a conhecerem a fundo nossas soluções. Com elas, enquanto você aproveita a sua festa, uma equipe com elevada capacidade técnica garante que seu condomínio esteja sempre protegido pela nossa equipe.

O grande destaque da PROTEC fica por conta da Portaria Remota, que possui custos altamente competitivos quando comparados com as antigas portarias físicas. Nossos protocolos de segurança sendo aplicados à risca no seu condomínio convidados, funcionários e amigos são atendidos pela nossa central.

Uma vez que nossa central filtra e monitora todas as interações que ocorrem em sua portaria, é fácil e simples resgatar informações sobre quem acessou o seu condomínio. Danos de visitantes indesejados, entradas não autorizadas e investigações que demoravam muito tempo, ou ficavam sem solução, são agora assunto do passado.

Imagens de alta definição podem ser utilizadas inclusive na responsabilização por danos ocorridos no perímetro vigiado, poupando gastos desnecessários para todos os condôminos. Dados que ficam protegidos em nossa central, longe de bandidos ou indivíduos que queiram remover ou alterar as imagens registradas.

Aproveitando o exemplo dado pela organização da maior festa de nossa cidade, agende uma visita para que possamos mostrar como você pode desfrutar da nossa tecnologia. Entre em contato pelo nosso site, e-mail ou telefone e coloque a segurança de seu condomínio na sua lista de prioridades!

Acessibilidade em condomínios: como adaptar o prédio de acordo com a legislação

O seu condomínio está preparado para oferecer fácil acesso à pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida? Recentemente, a lei de acessibilidade em prédios residenciais foi regulamentada, passando a exigir que todos os novos empreendimentos residenciais incorporarem recursos de acessibilidade nas áreas de uso comum.

As regras valem para a construção de novos prédios residenciais e para obras de adaptação nas unidades que facilitem a mobilidade de alguém que tem algum tipo de deficiência. De acordo com a lei, nenhum custo extra poderá ser cobrado pelo serviço de adaptação das unidades residenciais, porém a solicitação deverá ser entregue por escrito à construtora até o início da obra.

No prazo máximo de um ano e meio, todos os novos empreendimentos construídos no país devem se adequar à legislação. Para ficar por dentro das principais recomendações técnicas que devem ser seguidas para garantia da acessibilidade, continue acompanhando o post e esclareça suas dúvidas sobre o tema.

Medidas para atender a lei de acessibilidade em condomínios

De acordo com o último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil possui 45 milhões de Pessoas com Deficiência (PCDs). Apesar do número expressivo, o que se vê em grande parte dos condomínios residenciais é a falta de recursos básicos de acessibilidade, tais como: rampa de acesso, portas de acesso mais largas e até o tratamento de desníveis no piso, a exemplo da calçada rebaixada.

Para tornar o local mais acessível, os condomínios antigos precisam adaptar as áreas comuns, seguindo as recomendações técnicas conforme os parâmetros da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

O síndico deve investir em adaptações necessárias no condomínio para promover condições de acessibilidade não só para pessoas portadoras de deficiências, mas também aquelas que, por qualquer motivo, tenham dificuldades de acessar a sua própria unidade, bem como às áreas comuns da edificação, seja de forma permanente ou temporária, incluindo idoso, gestante, lactante, pessoa com criança de colo e obeso.

O Código Civil atribui ao síndico a responsabilidade de convocar a assembleia anual (ordinária) para aprovação do orçamento das despesas. No entanto, o morador interessado em levar a demanda sobre acessibilidade no condomínio para a reunião e/ou assembleia do condomínio, pode solicitar a convocação da Assembleia para explicar as necessidades legais e sociais e debater questões como o orçamento da obra.

Já está em análise um projeto de lei que pretende facilitar a aprovação de obras condominiais que visem promover a acessibilidade de pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida. O projeto de lei altera o Código Civil para prever que essas medidas dependerão do voto de apenas um terço dos condôminos, se outro quorum menor não tiver sido estabelecido pela convenção de condomínio. Atualmente, é necessária a presença de dois terços dos condôminos para a realização de obras úteis.

Adaptações que o condomínio pode fazer para ampliar a acessibilidade em condomínios

Para adaptar a estrutura com intuito de tornar o prédio mais acessível, o síndico deve seguir a Norma Técnica de Acessibilidade a Edificações, Mobiliário, Espaços e Equipamentos Urbanos — NBR 9050 da ABNT — que regulamenta questões de acessibilidade em empreendimentos residenciais. Confira a seguir alguns pontos relevantes da norma:

Acessos e circulação

Os pisos devem ter superfície regular, firme, estável e antiderrapante sob qualquer condição, que não provoque trepidação em dispositivos com rodas (cadeiras de rodas ou carrinhos de bebê). Recomenda-se evitar a utilização de padronagem na superfície do piso que possa causar sensação de insegurança (por exemplo, estampas que pelo contraste de cores possam causar a impressão de tridimensionalidade). Desníveis de qualquer natureza também devem ser evitados em rotas acessíveis.

Vagas de garagem

As vagas para estacionamento de veículos que conduzam ou sejam conduzidos por pessoas com deficiência devem:

– Estar sinalizada com o símbolo internacional de acessibilidade;

– contar com um espaço adicional de circulação com no mínimo 1,20 m de largura;

– ter sinalização vertical para vagas em via pública e para vagas fora da via pública;

– quando afastadas da faixa de travessia de pedestres, conter espaço adicional para circulação de cadeira de rodas e estar associadas à rampa de acesso à calçada;

– estar vinculadas a rota acessível que as interligue aos pólos de atração;

– estar localizadas de forma a evitar a circulação entre veículos.

Portas de acesso com dispositivos de segurança

Quando as portas forem providas de dispositivos de acionamento pelo usuário, estes devem estar instalados à altura entre 0,90 m e 1,10 m do piso acabado. Quando instalados no sentido de varredura da porta, os dispositivos devem distar entre 0,80 m e 1,00 m da área de abertura.

Se as portas de acesso ao condomínio são acionadas por sensores, deverá ser necessário contar com uma tecnologia que permita personalizar o tempo de abertura e fechamento da porta de acordo com a necessidade do morador. O dispositivo de segurança deve impedir o fechamento da porta sobre a pessoa com deficiência ou mobilidade reduzida.

Sinalização visual e tátil de degraus

Todo degrau ou escada deve ter sinalização visual na borda do piso, em cor contrastante com a do acabamento, medindo entre 0,02 m e 0,03 m de largura. Essa sinalização pode estar restrita à projeção dos corrimãos laterais, com no mínimo 0,20 m de extensão. Já a  sinalização tátil no piso pode ser do tipo de alerta ou direcional. Ambas devem ter cor contrastante com a do piso adjacente, e podem ser sobrepostas ou integradas ao piso existente. Com essa medida, pessoas com deficiência visual ou que sofrem de limitações na visão, conseguem se locomover com maior segurança nas áreas comuns do prédio.

Sinalização indicando que o local é acessível para pessoas com deficiência

A sinalização indicando a acessibilidade das edificações, do mobiliário, dos espaços e dos equipamentos urbanos deve ser feita por meio do símbolo internacional de acesso, sendo que nenhuma modificação, estilização ou adição deve ser feita a este símbolo. A figura deve estar sempre voltada para o lado direito e afixada em local visível ao público, sendo utilizada principalmente nos seguintes locais, quando acessíveis:

– entradas, áreas e vagas de estacionamento de veículos;

– áreas acessíveis de embarque/desembarque;

– sanitários;

– áreas de assistência para resgate, áreas de refúgio, saídas de emergência;

– áreas reservadas para pessoas em cadeira de rodas;

– equipamentos exclusivos para o uso de pessoas portadoras de deficiência.

De acordo com a Lei Brasileira de inclusão (LBI), a partir de 2020, todos os novos empreendimentos residenciais devem ser acessíveis. Porém, realizar as adaptações necessárias para promover acessibilidade a todos não deve ser vista apenas como uma questão legal a ser atendida, mas de cidadania.

Fonte:  blog da Kiper

Case de sucesso: Empresas de Blumenau investem em Monitoramento Eletrônico

No texto dessa semana apresentamos para o leitor o caso da Laboral Service, nossos clientes que apostaram no serviço de Monitoramento Eletrônico. Uma empresa nascida em Blumenau em 10 de março de 2003 que decidiu investir na segurança de seu espaço de trabalho.

A Laboral Service e a PROTEC tiveram a chance de se conhecerem durante a Feira de Oportunidades da Viacredi. Um evento da região do Vale do Itajaí que ocorreu na Vila Germânica no início de julho. Neste evento gratuito nós tivemos a oportunidade de demonstrar nossos serviços por meio de simulações e despertamos o interesse na Laboral Service.

Como as possibilidades de módulos de segurança são diversas, nossa equipe comercial foi fundamental para traduzir as necessidades dos clientes e passar confiança em relação às opções. Para isso precisamos entender o que trouxe a necessidade dos nossos serviços.

O que levou a Laboral Service a procurar nossos serviços de Monitoramento Eletrônico?

Recuperar o sentimento de tranquilidade após um furto. Após a violação do sentimento de segurança é difícil não imaginar que o evento possa voltar a ocorrer. Por isso, para garantir a tranquilidade nos horários de expediente e quando o prédio permanece sozinho a PROTEC oferece seus serviços de Monitoramento Eletrônico.

Junto com o Monitoramento Eletrônico um sistema de alarmes com sensores em locais de acesso foi instalado e conectado à nossa Central de Monitoramento. De lá poderemos cuidar de situações simples, como o esquecimento de um portão aberto, ou até casos críticos, como um arrombamento!

Com sensores de ambiente e entradas alternativas conectadas e monitoras nosso sistema é implacável com invasores. No início do ano, inclusive, capturamos um potencial invasor de condomínios, confira aqui.

Como a empresa optou por um sistema com central JFL os usuários terão controle total via Aplicativo. Podendo armar e desarmar alarmes, receber mensagens relacionadas à segurança em tempo real e observar a utilização do sistema por outros usuários cadastrados.

Caso indivíduos precisem ser identificados as imagens de todo o monitoramento estão disponíveis em nossa Central. Dessa forma elevando as chances de resolução de eventual crime pelas forças policiais.

Com ampla capacidade de monitoramento, nossas câmeras estão dispostas em locais conforme um planejamento. Nos utilizamos o que há de mais moderno e eficiente no mercado de segurança. Imagens de qualidade, exatamente nos espaços que precisam de mais vigilância em sua empresa.

Com nosso sistema de Monitoramento Eletrônico agora a Laboral Service conta com os olhos de nossos operadores monitorando o seu negócio 24 horas por dia 365 dias por ano. Com os nossos sistemas agora a Laboral Service pode ter tranquilidade novamente.

Pedimos para a Labroal Service descrever nossos serviços e gostaríamos de compartilhar a resposta.

“Profissionais muito prestativos e atenciosos. O vendedor demonstra bastante conhecimento no produto que está vendendo e nos passou muita confiança. Os instaladores são muito bem preparados o que não ocasionou nenhum transtorno nas nossas atividades laborativas.”

Ficou interessado nos nossos serviços? Entre em contato conosco e agende uma conversa com nossa equipe comercial. Temos certeza que podemos ajudar a sua empresa assim como ajudamos a Laboral Service!

 

Abaixo fotos da instalação realizada.

 

 

Sem prejudicar a fachada da empresa
Pontos de controle de acessos
Estética da fachada preservada

 

Quer conhecer mais sobre a Laboral Service?

A Medicina do Trabalho é uma especialidade voltada às relações existentes entre a saúde dos trabalhadores e o trabalho, buscando além da prevenção das doenças e dos acidentes, a melhora da qualidade de vida e da saúde do trabalhador.

Para atender a necessidade regional de uma empresa especializada no setor, a 10 de março de 2003, surgiu a Laboral Medicina do Trabalho em Blumenau. Contando com um quadro de profissionais selecionados para cada área de atuação, a Laboral possui ampla estrutura para bem atender as empresas de diferentes portes, em todo o Vale do Itajaí, adequando-se a cada segmento e oferecendo soluções individualizadas conforme a necessidade do cliente.

Serviços: LTCAT – Laudo Técnico das Condições do Ambiente de Trabalho

PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional

PPRA – Programa de Prevenção de Riscos

PGRSS – Plano de Gerenciamento de Resíduos em Serviços de Saúde

E toda a parte de exames ocupacionais!

Contatos: Comercial – laboral@laboralservice.com.br (47) 3036-4780

Site – www.laboralservice.com.br

Facebook – Laboral Service – Medicina e Segurança do Trabalho

 

6 dicas valiosas para melhorar a gestão da sua empresa

Todas as decisões que você toma influenciam nos resultados dos seus projetos e não tomar nenhuma decisão também é escolher. Um bom gestor deve estar atento às novas oportunidades e para ele não existe temática muito difícil ou muito sensível para ser tratada.

Essa é a visão que você tem das tomadas de decisão da sua empresa? Os responsáveis pela sua segurança e conforto dentro da sua organização tomam as melhores decisões? Estas perguntas só podem ser respondidas por você.

Vamos levantar algumas características, de empresas e administradores, que devemos exigir de nossos profissionais gestores, especialmente em nossa empresa.

 

  1. Proatividade – Um bom gestor sempre está 1, 2, 3 ou mais passos à frente de das necessidades. Antes mesmo que os colaboradores tragam sugestões de novidades ou manutenções necessárias o gestor já possui estas demandas listadas e priorizadas.
  2. Organização – Em épocas de eleições vemos que propostas da boca pra fora são abundantes, por isso é importante saber distinguir uma ideia de um projeto. Bons gestores preparam suas ideias antes de apresentá-las. Quando tentam convencer as diretorias não precisam alterar sequer de apresentações belas e formais, basta apresentar números e informações consistentes. #MaisProjetos #MenosDiscursos
  3. Gestão de Tempo – Desculpas como falta de tempo ou esquecimento estão longe da nossa realidade tecnológica. Quem toma decisões relacionadas à segurança deve, antes de tudo, administrar a sua própria agenda. Portanto, quando apresentarem um projeto, pergunte sobre detalhes sobre o tempo de execução. Um projeto sem começo e fim não é um projeto.
  4. Adeptos de Tecnologia – Assim como um lenhador que utiliza um machado para cortar suas árvores não tem chances perto de um motosserra assim é na gestão de empresas. A tecnologia auxilia no controle de informações e na agilidade dos processos, além de prover segurança sobre dados e pessoas na sua empresa. Nossos sistemas, além de proporcionarem uma robusta segurança, fornecem informações sobre os acessos à sua empresa que auxiliam na gestão da mesma. Menos chutes e palpites e mais informações vão poupar milhares de reais do bolso da sua organização!
  5. Transparência – Decisões precisam ser embasadas, portanto não aceite argumentos de autoridade. Questionamentos bem fundamentados devem ser respondidos com igual dedicação. Um gestor de verdade, convicto de seus projetos, não tem dificuldade de convencer plateia alguma. Cuidado com respostas evasivas, elas escondem segredos que podem custar no seu bolso
  6. Equipe – Saber organizar pessoas para conquistar resultados não é tarefa fácil. Quem se dispõe a ocupar um cargo de representante deve saber conduzir conversas de maneira produtiva. Lembre-se, não existe nenhum limite para a melhorias quando um grupo de pessoas está determinado ao sucesso.

Dentro da PROTEC buscamos transmitir as necessidades de uma empresa em sistemas e soluções confiáveis. Com isso conseguimos conquistar gestores de qualidade que valorizam a tecnologia e o bem-estar dos colaboradores de sua organização.

Fornecemos as ferramentas necessárias para que aquelas tomadas de decisão tenham dados que as suportem. Nossos projetos, produtos e serviços são pensados e projetados para que a sua empresa invista bem o seu dinheiro e reduza custos obsoletos.

Conheça nossas soluções e produtos visitando o nosso site ou entrando em contato conosco. Ficaremos felizes em apresentar para você, sua família e sua empresa nossas soluções para seus problemas de segurança e controle de acessos.

Quer saber mais sobre soluções para sua empresa? Visite as outras postagens de nosso blog!